A Montfort, a grande inimiga do “Summorum Pontificum”


É impressionante a sanha anticatólica professada pelo site Montfort. Fiel à técnica desleal de seu mentor, Orlando Fedeli, qualquer coisa é boa para denegrir os Pastores da Igreja. Poucos são os bispos que não tenham sofrido alguma injúria por parte desse movimento. Agora foi a vez de um bispo do estado de São Paulo, o da diocese de Bragança Paulista: é ele atacado violentamente apenas por exercer sua função pastoral.

Desde há muito tempo – já antes do Concílio – se entendia que cabia ao bispo o zelo pelas almas e a administração de sua Igreja Particular. Surgido do nada e faminto de carniça, o urubu da Montfort ataca agora Dom Sérgio Aparecido pela coisa tão corriqueira como pedir a uma comunidade que saia da diocese. Não vamos entrar no mérito do problema, pois não nos cabe julgar as condutas de nossos Pastores. Além disso, não temos nenhum mandato divino para fazê-lo, coisa a que se atribuem os membros do grupo do Fedeli, que se julgam designados pelo Altíssimo para cuidar dos interesses da Igreja e de policiar seus pastores (inclusive o Papa, evidentemente).

É tão ridícula a posição do movimento do urubu que causa risos em qualquer estudante de direito canônico. Pretendem pôr o bispo contra a parede com argumentos infantis, alegando uma vingança pessoal do Pastor contra uma pobre vítima inofensiva. Os insultos, os comentários insolentes e ofensivos são o habitual na seita Montfort. Que relação têm eles com Frei Tiago de São José? Pois apenas por assistirem suas missas se acham no direito de imiscuir-se nas relações estipuladas pelo Código de Direito Canônico. E, o que é pior, insuflar a revolta do povo contra seu pastor, promovendo um abaixo-assinado contra o bispo, seguidos por sites de duvidosa ortodoxia.

A Montfort, como Fedeli, sempre manipulou os documentos pontifícios a seu bel prazer. E esquece um ponto muito importante do Summorum Pontificum. Na carta dirigida aos bispos que acompanhava esse “Motu Próprio”, assim se expressava Bento XVI:

 “As novas normas não diminuem de modo algum a vossa autoridade e responsabilidade sobre a liturgia nem sobre a pastoral dos vossos fiéis. Com efeito, cada Bispo é o moderador da liturgia na própria diocese (cf. Sacrosanctum Concilium, n.º 22: «Sacræ Liturgiæ moderatio ab Ecclesiæ auctoritate unice pendet quæ quidem est apud Apostolicam Sedem et, ad normam iuris, apud Episcopum»).

 Por conseguinte, nada se tira à autoridade do Bispo, cuja tarefa, em todo o caso, continuará a ser a de vigiar para que tudo se desenrole em paz e serenidade.” Fonte: Vatican.va

“Pelos frutos os conhecereis”, disse Nosso Senhor. Revolta, insolência, orgulho, ódio à Igreja. A Montfort nada mais faz que reviver cada dia o escândalo farisaico. E, uma pergunta fica: são esses os frutos de tanta missa em latim? Usando a “Motu Próprio” para produzir divisão entre o povo e seus Pastores, a Montfort e congêneres demostram ser é os maiores inimigos do Summorum Pontificum.

Tags: , , , , , , , , , ,

About andresantos

um fiel de igreja que busca a verdade

Deixe seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: