Arquivo | Orlando Fedeli sobre a CNBB RSS for this section

Belzebu, o santo da CNBB

Famoso pelo seu linguajar torpe e aberrante, o Lutero do Brasil não poupava pensamentos delirantes que deixou por escrito para a posteridade.

Este texto é apenas exemplo de novidade que faremos publica em breve.

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

“Esse tal “Ofício Divino das Comunidades” prefaciado pelo Presidente da Comissão Nacional de Liturgia, usando texto do amigo de Fidel Castro, o Cardeal corintiano Dom Arns, é um absurdo. É uma ofensa à Fé, aos santos e à Justiça divina.

Inspirado por Dom Arns e pelos comunistas infiltrados na CNBB é de estranhar que ainda não tenham colocado entre os santos e heróis Lenin e Stalin, ou quem sabe Belzebu.”

Fonte: montfort.org.br

Anúncios

Orlando Fedeli: cheiro de maçonaria nas campanhas da fraternidade da CNBB

Opinião do Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort. Isto é ou não é uma seita? Ou é gente doentia mentalmente? ——- “Na Igreja pós-conciliar só se fazem reuniões, congressos, manifestos, planos pastorais. A desgraça é que não há mais pastores de verdade e da verdade. O blá-blá-blá verborréico da CNBB, em suas Campanhas da Fraternidade — […]

Fedeli condena bispo de heresia

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

 “Mandaram-me pela internet um artigo do Bispo de Piracicaba, Dom Fernando Mason, publicado no site da Desafinada Canção Nova, em que sua Excelência trata da igualdade ou não das religiões. Os dois primeiros parágrafos do senhor Bispo de Piracicaba são surpreendentemente bem católicos.

Por que esse Bispo não parou seu artigo no final do segundo parágrafo?

Seria um artigo bem curto, mas católico.”

“Depois deste início perfeitamente correto, Dom Fernando Mason, descamba para contradições chocantes com o que disse inicialmente. As contradições de Dom Fernando Mason são tantas, que até parece que o artigo foi escrito por duas pessoas diferentes.

Ora, São Pio X havia prevenido que os modernistas, para enganar, costumavam dizer numa página o que haviam negado na outra.

Dom Mason supera os modernistas: se contradiz na mesma página”.

“Dom Mason caiu sob a condenação do Vaticano I e da Pascendi.

É o que dá seguir o Vaticano II…”.

Fonte: montfort.org.br

A CNBB não é a Igreja.

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

“Que confusão a sua!

Você está identificando a CNBB com a Igreja. A CNBB não é a Igreja.

Esse é um erro clamoroso.”

“A Igreja condena o socialismo, e afirma que ninguém pode ser católico e socialista ao mesmo tempo.”

O PT é oficialmente socialista e concretamente comunista.

E a CNBB criou o mito Lula, e sempre apoiou Lula e o PT.”

“ O PT é oficialmente favorável ao aborto.

A Igreja excomunga quem defende o aborto,

A CNBB apóia Lula apesar de ele favorecer o aborto e ter aprovado os uso de embriões (seres humanos) para experiências.”

“ A Igreja condena a greve de fome como suicído, ou como tentativa de suicídio.

Um Bispo da CNBB está fazendo greve de fome. Quando se ouviu coisa igual?

A CNBB apoiou o Bispo que escandalosamente está fazendo greve de fome…”

“A Igreja reconhece o direito de propriedade como um direito natural, e diz que é pecado mortal pegar o que é de outros, e mesmo cobiçar o que é dos outros.

A CNBB ajuda e incentiva o MST a invadir propriedades alheias, coisa condenada por dois mandamentos da lei de Deus.”

“ A Igreja reconhece o direito natural de legítima defesa.

Agora o PT — como fizeram sempre os partidos comunistas para tomar o poder — promove o desarmamento da população, enquanto procura tomar o Estado com mensalões e mentiras, elegendo um pizzaiolo-mór comunista para Presidente da Câmara de Deputados. “

“A CNBB apoia o desarmamento do povo. Mas ela provavelmente se calará quando as armas dos comunistas fuzilarem os católicos.”

“ Cristo disse aos Apóstolos – aos Bispos – “ide e ensinai”

A CNBB — infelizmente — ensina o quê?”

“A Montfort segue, sim, o que ensina a Igreja, na forma como a Igreja o exige [1]

Fonte: montfort.org.br

 

A CNBB está dominada pelo modernismo e o marxismo.

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

 “No Brasil a CNBB, desde a sua fundação, esteve dominada pela ala Modernista e marxista do Clero.”

“A atuação da CNBB tem sido lamentável. Ela mais se preocupa em secundar uma política socializante e comunistizante do que com a Fé, do que com a situação moral do povo brasileiro. Das assembléias da CNBB nascem documentos prolixos, num jargão sócio-econômico clericalês, que ninguém lê. A CNBB trata de tudo, menos do que deveria tratar. Por isso ela é tida mais como um órgão político de apoio aos partidos socialistas do que como um órgão religioso. É da Pastoral da Terra — órgão da CNBB — que saem todos os apoios políticos e financeiros aos Movimentos comunistizantes, como o MST, que preparam a guerra civil, agindo com violência, em nome do “amor” e da “justiça social”.”

Fonte: montfort.org.br

As decisões da CNBB não obrigam niguém

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

“Mas, o sr. não pode esquecer que a CNBB não é um órgão instituído por Cristo. É uma instituição humana e não divina, cujas decisões não obrigam nem aos Bispos a ela pertencentes.”

Fonte: montfort.org.br

Orlando Fedeli igual ao Cristo?

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

“À sua Excelência Reverendíssima,

Dom Orani João Tempesta, Digníssimo Arcebispo de Belém do Pará.

Excia.

Recebi a informação que Vossa Excia., por meio de um sacerdote da Cúria Arquidiocesana, comunicou a um amigo meu, que me convidara a dar palestras em Belém, que “não gostaria que houvesse, nesse momento, palestras minhas em sua Arquidiocese”. Por amor à união…

Um pedido de Vossa Excia., de fato, é uma ordem.

Quero crer que V. Excia Rvdma. é fiel seguidor do ecumenismo conciliar e que, seguindo o Concílio Vaticano II, jamais fez pedido igual a Teólogos da Libertação seguidores de Fidel Castro, e nem deixou de dialogar com hereges protestantes…

Por amor à união…

Para comigo, o diálogo não vale, e a tolerância conciliar não é invocada.

Deo gratias!

Praticando o ecumenismo, creio que V. Excia jamais proibiu que entrassem e falassem, em Belém, protestantes, judeus, muçulmanos, hereges, fariseus e saduceus, e mesmo boffes e bettos de todos os tipos.
Com todo respeito por sua autoridade episcopal, quero dizer-lhe, Excia. Rvdma. que, embora exorbitante, seu pedido-ordem concede, à Montfort e a mim, uma honra imensa e muito especial. Pois não sou o primeiro a quem se recusa entrada em Belém. OUTRO, infinitamente santo, teve também sua entrada em Belém, um dia, recusada.

Vossa Excia me colocou em divina companhia.

Deus lhe pague.

Rogando a Deus que o recompense por sua generosa recusa, me subscrevo atenciosamente,
in Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli.

São Paulo, 15 de Junho de 2007″

http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20070618233706&lang=bra

%d bloggers like this: