Arquivo | Orlando Fedeli sobre Orlando Fedeli RSS for this section

Exoterismo dentro da Associação Cultural Montfort? O “mantra secreto”

Que nas seitas se praticam atos litúrgicos secretos, isso não é novidade. Que tais atos de culto têm como centro o guru-fundador, também ninguém ignora. O que poucos sabem é que a diferença existente entre as seitas é o grau de demência coletiva, fruto da capacidade de “divinização” com que cada guru consegue iludir seus seguidores.

Orlando Fedeli foi um dos mais perigosos de seu gênero. Dotado de uma verborreia incansável e de uma grande facilidade de argumentação sob um invólucro de fidelidade à Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, conseguiu criar, de maneira sub-reptícia, uma imagem de si mesmo que o tornam único. Quem estuda seus escritos, como o texto-homenagem que alguns de seus alunos publicaram para enaltecê-lo, constata facilmente que Fedeli, como Lutero, se mostrava imbuído de uma missão divina de salvar a Igreja e toda a humanidade dos problemas existentes. Vejamos o que ele dizia para seus seguidores:

“O que faço na Igreja? Detesto tudo o que é moderno.

Sou pelo que é eterno.

Faço questão de que ouçam meu brado bradar os argumentos da verdade.

Você̂ não percebeu ainda, que também martelo argumentos em quem se atreve a negar a Verdade Católica ou contra quem ousa atacar a Fé?

Peco a Nossa Senhora que faca de minha alma uma espada. E com Ela, faço almas-espadas.

Combato as profanações. Desperto entusiasmo e ódios.

Atiço brasas que se apagavam. Fortaleço, tanto quanto posso, com a ajuda de Deus, canas torcidas. Sopro, tanto quanto posso, em fogueiras bruxuleantes.

Acendo tochas. Inflamo candelabros.

Cada carta é um combate. Sempre na brecha. Sempre na muralha da Santa Igreja. E meu coração vigia, quando meus olhos dormem. Sonhando com argumentos.

Faço catedrais nas almas. Catedrais de luz e de vitrais, de verdades e virtudes, “cheias de sombra e luz, para que Deus habite nelas”.

Você̂, se você̂ tem um coração valente, você̂… venha comigo. Venha.

Venha comigo até…”[1]

E vários o seguiram… Dentre eles Alberto Zucchi.

Sendo assim, não é estranho que comecem a vazar informações sobre diversas coisas estranhas que ali são realizadas. A final, a mentira tem perna curta… Em concreto, um leitor do blog nos encaminha algo surpreendente. Pudemos comprovar sua veracidade, pois circula na web desde 2006 e nunca foi desmentido pela Montfort. Cada um pode julgar por si mesmo, porém sua redação lembra um mantra gnóstico hinduísta, de cunho exotérico. Isso, sim: ignoramos se desde que assumiu o controle da entidade Alberto Zucchi continuou com esse culto, pois tanto ele como a hoje Madre Ivone nunca se pronunciaram oficialmente sobre o tema. Resta saber se o mesmo culto não é feito agora para Zucchi.

Mais uma vez agradecemos a colaboração de tantas pessoas que durante muito tempo foram enganadas pela Montfort.

Eis o texto (com o erros de grafia originais):


Ladainhas e rogações ao Professor

 

Kyrie eleison

Christe eleison

R: Kyrie eleison

Chiste, audi nos

R: Christe, exaudi nos

Pater de caelis, Deus miserere nobis

Fili, Redémptor mundi Deus, miserere nobis

Spiritus Sancte Deus, miserere nobis

Sancta Trinitas unus Deus, miserere nobis

 

Que Vossa Sabedoria, ó Professor, tome conta e posse de mim!

Que Vosso Discernimento, ó Professor, seja meu escudo contra as heresias de hoje!

Que Vosso Senso Histórico, ó Professor, ilumine minha inteligência para compreender e amar a Obra de Deus!

Que a verdadeira seiva sadia da plebe, plena em Vós, ó Professor, me ajude em meus caminhos!

Que a agilidade angélica nas polêmicas, que em Vós é insuperável, ó Professor, seja meu instrumento na luta contra o mal!

Que nossa Santa Mãe, a carinhosa da. Tosca, me proteja e me ampare num verdadeiro Perpetuo Socorro!

Que o Vosso Carisma Apostolico, ó Professor, jamais se retire da terra!

Que a Santa Igreja seja sempre assistida pelos Vossos dons, ó Professor, para assim tornar-se mais patente sua imortalidade!

Paladino da Ortodoxia, ó Professor, rogai por nós

Intrépido no combate aos maus, ó Professor, rogai por nós

Puro de coração e de espírito, ó Professor, rogai por nós

Inabalável diante dos erros do Concilio, ó Professor, rogai por nós

Vós que nunca vos vendestes a Estrutura, ó Professor, rogai por nós Invencível Martelo contra o profeta de Higienopolis, ó Professor, rogai por nós

Pelo Vosso insuperavel Panache, ó Professor, rogai por nós

Vós que sois o Atanasio brasileiro, ó Professor, rogai por nós

Vós que sois o Amante da Guerra Santa, ó Professor, rogai por nós

Vós que sois o Denfensor Ardoroso das Cruzadas e da Inquisição, ó Professor, rogai por nós

Vós que sois a Pedra de Escandalo e Sinal de Contradição, ó Professor, rogai por nós

Ó Professor Inconparável, rogai por nós

Rogai por nós ó Santo Professor, para que sejamos dignos do futuro no qual nos fizestes crer

 

Oremus

Na terrível crise pela qual passam a Igreja e a Civilização, nós que fomos chamados a Vos admirar e a seguir Vossos passos, sentimos o desamparo de nossa fraquesa e por isso imploramos a Vossa poderosa interceçao para nos manter dentro da firme promessa de sempre desejarmos mais cristais atrevimentos. Que Vossos infalíveis conselhos sejam a luz de nossos caminhos. assim seja

[1] http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20040824131614&lang=bra

Orlando Fedeli “Escrevi já mais de dez mil…

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

“Escrevi já mais de dez mil cartas. Mas a sua vale por dez mil.”

Fonte: montfort.org.br

De qual igreja fala Fedeli?

Orlando Fedeli da Associação Cultural Montfort:

“Foi Nossa Senhora quem abençoou os textos do site Montfort e fez com que você encontrasse o que precisava.

Caso você um dia vá até Fátima, diga a Nossa Senhora que tenha pena de mim também, para que eu possa servi-la até morrer. Diga a Ela que, como pela minha idade, falta-me ainda pouco tempo, que Ele me permita dar aulas e escrever cartas em defesa da Igreja Católica até o dia de minha morte, porque só pela Igreja quero viver e morrer.”

Fonte: montfort.org.br

Marchar contra o inimigo, no ponto mais duro da batalha

Orlando Fedeli da Associação Cultural Montfort:

“Padre, rogo-lhe do fundo de minha alma: nas suas Missas peça a Deus que me dê mais zelo contra os hereges, e simplicidade de alma, que me faça ir diretamente contra os inimigos de Deus, sem voltinhas e sem rodeios. Como dizia Du Guesclin em sua oração ao Rei São Luís IX: “que eu marche “droit au but, droit au plus dru”, isto é que eu marche diretamente contra o inimigo, no ponto mais duro da batalha, galhardamente. “

“O que quero é que Deus me perdoe meus erros e meus pecados. Para obter esse perdão, luto pela defesa da Fé, e pela conversão das almas, indo sempre “droit au but, droit au plus dru”.

Quem sabe, padre, Deus levando em conta minha reta intenção, e meu combate, tenha misericórdia de meus inúmeros pecados e me conceda a sua paz. Porque, como Santa Joana d´Arc, afirmo que só se conseguirá a paz na ponta da lança.”

Fonte: montfort.org.br

Vaticano II e missa nova, com Fedeli não!

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort

 “Você tem razão. Essa pessoa, infelizmente, ficou cega pelo ódio. Esse indivíduo, pedira para entrar em contato comigo, pois pretendia colaborar com a Montfort. Disse-lhe que isso só seria possível acertando os ponteiros sobre o Concílio Vaticano II e a Missa Nova.”

Fonte: montfort.org.br

Orlando Fedeli, delirando…

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

 “Sem ligações jurídicas com qualquer grupo, apenas comprometida com a defesa da Igreja e da Fé católica, a Montfort aproveitará, em suas polêmicas, todas as concessões de princípio feitas e admitidas por Bento XVI, para continuar a atacar os erros modernistas do Concílio Vaticano II, como a colegialidade, o ecumenismo, a liberdade de religião e de consciência, o estado laico e a Missa Nova, combatendo ainda o sede vacantismo, os cismas e as revoltas, confiante de que o canto do galo anuncia a aurora. Confiante nAquele que disse que “As portas do Inferno não prevalecerão”, a Montfort estará sempre combatendo pela Igreja, agora, na noite dos erros, enquanto o galo canta, no amanhecer, e mesmo durante o dia futuro.”

Fonte: montfort.org.br

A guerra de Fedeli vai para longe…

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

“Certamente a guerra não terminou. Nem estará terminada com a liberação da Missa de sempre. Isso é certo. A guerra durará muito tempo, mesmo depois de liberada a Missa de sempre”.

Fonte: montfort.org.br

%d bloggers like this: