Tag Archive | Betto

Orlando Fedeli e a Montfort: os únicos fieis!

Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort:

“Depois desse Concílio surgiram tantas divisões entre os católicos, nasceram tantos tipos diferentes e tantos modos diversos de ser católico, que a definição normal já não diz nada para as pessoas comuns. Ficou necessário acrescentar um outro adjetivo à expressão da única religião e da única fé verdadeiras. E o acréscimo necessário para se definir qual a religião católica que se tem, demonstra que se perdeu a unidade da Fé.

Hoje há católicos tradicionalistas e católicos seguidores do Vaticano II.

Mas, mesmo nesses dois grupos não há unidade. Os que se afirmam contrários ao Vaticano II se dividem em sedevacantistas e inimigos do sede vacantismo; lefevristas e campistas, seguidores da Fraternidade de São Pedro e, fiéis do Barroux, etc. Os seguidores do Vaticano II, por sua vez, se dividem também em Modernistas explícitos, como Guitton e os Cardeais Kasper, Lehman, Martini, Koenig e Arns, ou seguidores moderados do Vaticano II, como os cardeais Ratzinger e Castrillón Hoyos.

Há os seguidores do “espírito do Vaticano II”, e os seguidores da “letra do Vaticano II”. Há católicos seguidores da marxista Teologia da Libertação, e há os católicos carismáticos. Há os que se dizem católicos conservadores, do tipo Opus Dei, e os que seguem a orientação “jesuítica”. Há católicos da “Comunhão e Libertação”, seguidores de Monsenhor Giussani, e os da Canção Nova. Há católicos tefepistas e os que seguem a banda dos Arautos do Evangelho, ex-devotos de Dr. Plínio e de Dona Lucília. Há os católicos seguidores de Chiara Lubich, e os seguidores da cismática Vassula Ryden. Há os católicos do Neo Catecumenato, fanáticos de Kiko Arguelo, e os católicos do Padre Gobbi. Há católicos ditos ultramontanos, e católicos liberais. Há os aparicionistas, que acreditam em tudo quanto é visão, e os seguidores de Frei Betto, que só crêem em Betto, Marx e Boff.

Enfim, há de tudo. Só é difícil de encontrar quem seja Católico Apostólico Romano, apenas, sem nenhum adjetivo a mais.”

“Nós que queremos ser Católicos Apostólicos Romanos, sem nenhum adjetivo a mais.”

Fonte: montfort.org.br

Anúncios

O que diz Orlando Fedeli sobre a CNBB?

A CNBB SÓ LANÇA MANIFESTOS VAZIOS DE FÉ E INDIGESTOS DE MARXISMO.

 

Orlando Fedeli: “A Campanha da CNBB deste ano — como todas as outras — já foi por água abaixo. Bispo devia se preocupar em difundir a Fé, ensinando a todos, como Jesus mandou, e não a fazer demagogia ecologista ou agitação comunista. Imagine: “Águas”!!! ???

O que a CNBB faz é inundar o Brasil com um dilúvio verborrágico que ninguém lê. Nem padres. Será que você não percebeu que a CNBB só lança manifestos longos, chatos, indigestos? Vazios de Fé. Indigestos de marxismo.”[5]

 
 
 

SILÊNCIO CÚMPLICE E ACOBARDADO DA CNBB COM COMUNISTAS E ABORTISTAS

 

Orlando Fedeli: “Muitos Bispos — especialmente os ligados à Pastoral da Terra, e à Teologia da Libertação — sabem perfeitamente que Lula é abortista e comunista, que ele é ligado a Fidel Castro, às FARCs, Chávez e Morales, e que pretende impor ao Brasil uma república bolchevista.

Outros Bipos sabem disso, mas temem manifestar sua oposição.

É o apoio dos bispos marxistas e o silêncio acovardado de muitos Bispos que promovem a vitória de Lula.

Por que a CNBB não se manifesta condenando o PT como partido comunista e abortista?

Por que a CNBB não condena Lula como abortista?

Por que a CNBB não proclama, em alto e bom som, que votar num candidato abortista, como Lula, é incorrer em excomunhão?

Por esse silêncio, cúmplice ou acovardado da CNBB, cairá a responsabilidade pelas desgraças que advirão a nossa pátria com a possível vitória do demagogo comunista que lidera o PT, partido que, segundo o procurador Geral da República, teve muitos de seus dirigentes conluiados numa verdadeira quadrilha, assaltante do Estado.”[6]

 
 
 
 
 

BISPOS FARISEUS: NO SHOPPING DE JEANS E CAMISA ABERTA

 

Orlando Fedeli: “ Você me fala dos Bispos de batina… E solenes… Pois soube de um, que teve destaque no Pacaembu na cerimônia de ontem à noite, e que costuma ir ao shopping de sua cidade de camisa aberta e de calças jeans… Ontem, ele estava solene, lá no Pacaembu. Ainda bem. Pelo menos uma vez.”[8]

 
 
 

PARA O CLERO NACIONAL NADA É PECADO

“Que contradições entre o que o Papa disse à juventude brasileira — que ela deve praticar a castidade — e o que lhe diz o clero nacional: que nada é pecado.”

“Que contradição entre a defesa que Bento XVI fez do celibato com o mau clero que escandalosamente sonha ter sogra. (Um seminarista me comentou que quando o Papa falou em castidade, certamente alguns padres moderninhos foram pegar o dicionário para saber o que seria aquilo…).”[9]

CNBB É A FONTE DA VERBORRÉIA ECLESIÁSTICA MAIS INÚTIL

Orlando Fedeli: “Após o Vaticano II, nasceu a mania de reuniões, manifestos, palavrório. Tudo se discute. Para tudo se fazem planos. E quem dá o pior exemplo é a CNBB que tem pastorais e comissões para tudo. É da CNBB que nasce a verborréia eclesiástica mais inútil.”[12]

“É por isso que eclesiásticos, vários de origem franciscana — [Arns, o Cardeal Hummes, o ex frei Boff…] — muito contaminados por idéias ligadas ao milenarismo dos fraticelli, e pelo Modernismo, apoiaram a fundação, a expansão, e a atuação do PT. Também apoiaram o PT, esse partido marxista-cristão(???), os frades modernistas dominicanos das Perdizes, filhos do Modernismo de Chenu, e do Pe. Congar. No convento dominicano das Perdizes se formou uma ativa célula comunista, que apoiou a guerrilha comunista de Marighela. O semi-frei Betto teve participação inglória nessa guerrilha, participação que o tornou amigo de Fidel, que o fez conselheiro de Lula, já que este último só se podia mover tendo alguém aconselhando-o ao pé do ouvido, sobre o que devia falar ou calar. Frei Betto — disse-o agora Dom Arns — era “o nosso representante junto a Lula” (Dom Paulo Evaristo Arns, entrevista “Estou decepcionado com o governo Lula”, diz Dom Paulo, in “Diário de São Paulo” – 24.07.2005, p. A 3).”

“Não há, então, como negar que o PT foi apoiado pelo clero modernista, o que é uma razão a mais para sair desse partido de origem herética.

“Lula foi o operário-símbolo escolhido para liderar esse movimento político, aplicador da Ost Politik, do castrismo, e da Teologia da Libertação.

“Foi o tempo das greves do ABC, para as quais Dom Hummes cedeu a sua Catedral. O Templo de Deus foi asilo de agitadores marxistas.

“Dom Hummes disse que recebeu pedradas junto com Lula e seus grevistas… O mesmo Dom Hummes que declarou Lula “um católico a seu modo”, mesmo depois que ele patrocinou e aprovou a lei dos transgênicos, essa fraude pseudo científica.

“Isso mostra como o clero modernista e filo socialista estava unido ou mancomunado com o projeto Lula–PT para realizar a República Socialista Operária Petista, aliada a Fidel.

“Foi a CNBB, através de Dom Morelli, de Dom Casaldáliga, um sandinista de batina e báculo, de Dom Tomás Balduíno, que promoveu o que o ex Frei Boff e o semi-frei Betto, — ambos comunistas — queriam e preparavam de acordo com a ideologia marxista, que eles adotaram e patrocinaram.”

“Com as bênçãos da CNBB. Porque a CNBB tem grande culpa na vergonha atual que sofremos, por promover esse Partido “Cristão” “à sua maneira”. À maneira da CNBB.”[13]

BISPOS DA CNBB PREFEREM O MARXISMO AOS ENSINAMENTOS DA IGREJA

Orlando Fedeli: “Esses Bispos e Cardeais, em vez de crer no que sempre ensinou a Igreja – que é impossível um socialismo cristão—preferiram crer na Teologia da Libertação apoiando o marxismo do PT.

Acreditaram na “santidade” de Lula, “católico à sua maneira”, como o “absolveu”, a seu modo, o Cardeal Hummes.”[14]

A CNBB ATUA NA PENUMBRA DAS SACRISTIAS MODERNISTAS

Orlando Fedeli: “Diante de tudo isso, muita prezado Deputado — que não quero confundir com a quadrilha marxista dirigente do PT — só posso lhe dizer, em nome da doutrina católica, que o senhor quer defender: saia imediatamente desse partido anti católico.

“Claro que o senhor deve ter sido levado a ele por conselhos que lhe deram em alguma sacristia.

“Desconfie, senhor Deputado, de conselhos esquerdistas sussurrados por clérigos modernistas, na penumbra das sacristias.

“Veja como o Deputado Severino, aquele que passou um pito num Bispo, acusando a CNBB de não fazer nada na defesa da moral católica, acabou, ele mesmo, favorecendo o projeto dos transgênicos, assim como a questão dos homossexuais. Assim são os católicos – não me refiro ao senhor — “aconselhados” na penumbra das sacristias modernistas…”[17]

SEMINÁRIOS DE HOMOSSEXUAIS, FREIRAS AMANTES DE BISPOS.

Orlando Fedeli: “Uma aluna minha contou-me que no seminário central de uma grande capital brasileira, os seminaristas, ao se encontrarem, depois de descerem dos ônibus que os trouxeram de várias procedências, saem de mãos dadas, como namorados.”

“Ainda agora, um Bispo socialista da CNBB declarou sobre os escândalos de pedofilia que isso não deveria espantar porque “os padres são seres humanos” (não me lembro das palavras textuais, mas o sentido era esse).”

“Uma outra revista publica um entrevista de uma ex-freira que prova, com fotos, que ela foi amante de um Bispo.”[20]

NÃO RECOMENDO NENHUM SEMINÁRIO

Orlando Fedeli: “Recomendo-lhe que reze muito para que Deus mantenha sua vocação sacerdotal.

Não conheço, hoje, nenhum seminário que lhe pudesse recomendar. Normalmente, os seminários ensinam modernismo e não catolicismo. Por isso, recomendaria que você aguardasse um pouco os acontecimentos que estão para ocorrer na Igreja. Consta que o Papa Bento XVI poderá logo mais liberar a Missa de São PIO V. Caso a Fraternidade Sacerdotal São PIO X volte então a estar bem unida ao Papa, certamente haveria possibilidade de ir estudar Filosofia e Teologia em seus seminários. Enquanto porém, essa Fraternidade não estiver em perfeita união com o papa será preciso aguardar os acontecimentos com paciência.”[21]

OS SEMINÁRIOS FORMAM PADRES RIDÍCULOS

Orlando Fedeli: “A Nova Missa fez do sacerdote um show man. E para atrair o povo, os seminários se preocupam em formar padres “simpáticos” (ridículos), “atraentes” (bonitinhos), labiosos” (parladores ignorantes). Já não se distribui ao povo fiel o pão da palavra de Deus. O novo clero demonstra uma ignorância teológica ao nível de suas virtudes…[22]

MAU GOSTO DE BISPO AUXILIAR DE SÃO PAULO

Orlando Fedeli: “O altar foi escolhido não pelo Papa, mas por um Bispo Auxiliar de São Paulo, que julgou o altar artisticamente belo e não pelo fato de ser da Canção Nova.

Certamente vou procurar ver com atenção o tal altar da canção nova que o Bispo considerou belo…

Sabendo do mau gosto artístico da Canção Nova, confesso-lhe que temo muito que o gosto do Bispo seja do mesmo valor.” [23]

BOM PADRE NÃO TEM CARRO NEM TRABALHA COM MULHERES

Orlando Fedeli: “Não procure os bons sacerdotes dando aulas nas Faculdades de Teologia que se multiplicam por aí. Lá, praticamente, só podem dar aulas padres comprometidos com a heresia modernista.”

“Não procure os bons padres entre os que aparecem e que são nomeados para cuidar de paróquias ricas e centrais.”

“Não procure os bons padres entre os que se vestem como janotas, que têm carro bom e secretárias. Os bons padres andam a pé — à evangelica — usam só batina preta e nunca têm secretárias, nem mulheres como “gerentes” de igreja.”

“É bem difícil, hoje, encontrar um bom padre.”[25]

DÍZIMO: HERESIA MODERNISTA

Orlando Fedeli: “Quanto ao dízimo, veja na porta das igrejas como se dá importância a pagar o dízimo, e como não se dá nenhuma importância aos dogmas da Fé. Certas paróquias católicas, de fato, infelizmente estão tão protestantizadas, que a elas cabe bem o provérbio crítico que se fazia às igrejolas protestantes: “Reze, pague e obedeça”. Sobretudo, pague!

E foi depois do Vaticano II que se espalhou a heresia modernista de Loisy, de que Cristo não fundou a Igreja, mas que o dízimo é importante para o verdadeiro cristão… “[26]

MINISTROS DA EUCARISTIA: INVENÇÃO DESASTROSA DO CONCÍLIO

Orlando Fedeli: “Após o Concílio Vaticano II e a infeliz e errada reforma da Liturgia de Paulo VI surgiram muitos abusos, que o Papa atual, agora, graças a Deus, procura coibir.

Um desses abusos foi a invenção desastrosa dos “Ministros da Eucaristia”.”[27]

A TRAIÇÃO DE DOM FERNANDO RIFAN

Orlando Fedeli: “A Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney, dirigida por Dom Fernando Rifan, fez um acordo com Roma, para ter permissão de rezar a Missa de São Pio V. Para isso, o então Padre Rifan, concordou em aceitar o Concílio Vaticano II e a Missa Nova que ele combatera durante décadas. O resultado é que ele e alguns padres passaram a defender a Missa Nova, e Dom Rifan até concelebrou uma Missa nova em Aparecida. Agora, Padres mais jovens dessa Administração assistem e aceitam a Missa Nova. Isso revoltou boa parte do povo de Campos, que duarnte décadas Padre Rifan levara a condenar a Missa Nova. O mesmo Padre Rifan, anos atrás condenara o acordo que Dom Gérard, da Abadia do Barroux fizera com o Vaticano. Depois, ele fez o que havia condenado.

Agora a Fraternidade São Pio X está conseguindo a liberação da Missa de sempre sem aceitar o Concílio Vaticano II e sem aceitar a Nova Missa de Paulo VI. Sem fazer acordos que padre Rifan chamava de traição. De modo que Dom Rifan abandonou a batalha na véspera da vitória…

Imagine a frustração desse Bispo.

Abaixo lhe passo cópia da carta do, então, Padre Rifan a Dom Gérard, condenando como traição o acordo que esse abade fizera com Roma. Depois, Padre Rifan fez igual. (Os destaques nessa carta estão como os recebi)

In Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli

Carta profética do Padre Rifan condenando Dom Rifan

http://www.tradblogs.com.br/bomcombate/pivot/entry.php?id=12

Barroux, 3 de julho de 1988.

Caríssimo Dom Gérard Calvet

Laudetur Jesus Cristus !

A amizade sincera que nos une, ao Sr. e ao Mosteiro do Barroux e do Brasil, me leva a abrir-lhe um pouco os sentimentos do meu coração sacerdotal.
Creio que só o amor de Nosso Senhor, da Santa Igreja e das almas nos move.
Tomei conhecimento da visita dos enviados de Roma ao nosso caríssimo Mosteiro do Barroux. Certamente vão propor acordos.
Ao estudar detalhadamente o caso de D. Lefebvre, pude constatar a verdadeira cilada em que procuravam nos envolver. Eles não são sinceros. Eles o demonstraram: logo depois de assinado o protocolo, eles já queriam mais: que reconhecêssemos os erros que cometemos (doutrinários); a celebração de uma Missa nova em S. Nicolás, etc…

Vejamos o que aconteceu com D. Augustin! Começou apenas se separando de nós. Agora já está dando a comunhão na mão! O caminho é escorregadio. Começou apenas querendo a legalidade. Depois, teve que receber o bispo para celebrar missa no Mosteiro. Terminou com a comunhão na mão!

Nosso Senhor mandou-nos unir a simplicidade da pomba à esperteza da serpente.
Caríssimo Dom Gérard, o amor que temos ao Mosteiro nos impele a pedir-lhe que não faça esses acordos com quem não quer o bem da Igreja.

O cardeal Gagnon declarou (eu li nos jornais do Brasil) que a tática do Vaticano agora será tratar bem os Tradicionalistas a fim de separá-los de D. Lefebvre. Dividir para vencer é claro: se ficarmos todos juntos, os inimigos temerão e recuarão. “Vis unita fit fortior”. Se houver acordo da parte de qualquer um de nós, será o enfraquecimento geral da Tradição. O melhor serviço que podemos prestar à Santa Ireja é resistirmos juntos.
Foi em nome dessa união que nós publicamos em nosso boletim “Heri et hodie” o seu sermão “5 Razões para a sagração Episcopal onde o Sr. nos conclama a ter confiança em Dom Lefebvre. Como os eu artigo ajudou a aquietar os ânimos!

E ademais temos que olhar a situação da Igreja toda e não apenas resolver nosso caso particular. Seria uma traição à causa pela qual juntos combatemos há tanto tempo.

Tanto mais que eles confessaram a tática insidiosa. Seria o cúmulo da ingenuidade cairmos nesta armadilha.

Outrossim todos sabem que Deus reservou ao Sr. um papel providencial na Igreja hoje. Todos conhecem o bem que Deus fez por seu intermédio e por sua influência.

Caríssimo D. Gérard, é a cristandade de amanhã que implora a sua firmeza. Ajudai-nos, com o seu exemplo, a ficarmos firmes.

Se o Mosteiro do Barroux faz o tal acordo, o caro Dom Gérard já pensou na turbulência que haverá nos meios tradicionalistas ? !

E as divisões que ocorrerão dentro do Mosteiro ?! No Brasil, a repercussão será péssima. O Mosteiro da Santa Cruz poderá até desaparecer.

Os fiéis de Campos lá não irão mais. Os nossos padres não darão mais apoio. As vocações desaparecerão. E os que lá estão talvez saiam todos. Seria uma desgraça! E depois de todo o apoio dado pelos padres de Campos, de todo o esforço feito pelo Padre Possidente pelas vocações no Mosteiro percorrendo com os monges toda a diocese, uma traição destas seria uma decepção para toda a diocese de Campos e para todo o Brasil.

Tenho recebido muita correspondência do Pe. L. M. de Blignière e acompanhado o seu retrocesso. A revista “30 Giorni” [publicou um artigo sobre sua nova posição mostrando como os Tradicionalistas podem se “converter” ao progressismo. Não sei porque esse empenho dele em defender a liberdade religiosa do Concílio, fazendo uma exegese tradicional do texto, se a própria Roma o interpreta no sentido de “Assis”?! Pelos frutos se conhece a árvore: a árvore boa não pode dar maus frutos. “Assis “é fruto da “Dignitatis Humanae”.

O Ecumenismo atual, o indiferentismo religioso dos Estados patrocinado pelo Vaticano, a laicização da sociedade, são frutos da “Dignitatis Humanae”. E o próprio Cardeal Ratzinger confessou ( em entrevista ao “Jesus”) que a “Dignitatis Humanae” é o anti Syllabus !

E não se pode argumentar pela ortodoxia afirmando que, em outro lugar, se disse a verdade. É preciso reconhecer que estamos lidando com Modernistas e com um Concílio Modernista ! São Pio X já os desmascarou na “Pascendi” quando disse: ao lermos uma página deles temos a perfeita doutrina tradicional, mas ao virarmos a página nos deparamos com a heresia.

É bom lembrar o princípio de que a pior moeda falsa é a que mais se parece com a verdadeira. E tanto mais perigosa quanto mais se parece!

Caríssimo Dom Gérard, peço-lhe desculpas por escrever tudo isso, mas foi a nossa amizade sincera e o amor do nosso Mosteiro, que me levou a escrever tudo o que escrevi. A hora é grave, continuemos unidos na
oração e na identidade de doutrina. Que o seu entusiasmo pela causa da Igreja continue nos animando sempre.

Que Nossa Senhora da Santa Esperança nos guarde unidos no mesmo ideal.
Seu

In Jesus et Maria.

Pe. Fernando Arêas Rifan.”[28]

 
 
 
 
 
——————————————————————————–
 
 
 
 
 
[3] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20070723120440〈=bra
 
[4] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=politica&artigo=20040726104050〈=bra
 
[5] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20050412124357〈=bra
 
[6] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=politica&artigo=20061023091428〈=bra
 
[7] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=outros&artigo=20070802172936〈=bra
 
[8] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=papa&artigo=chegada_papa〈=bra
 
[9] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=papa&artigo=20070509181348〈=bra
 
[10] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20050224225741〈=bra
 
[11] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=doutrina&artigo=20040902162802〈=bra
 
[12] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=doutrina&artigo=20050309201910〈=bra
 
[13] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=politica&artigo=20050803125625〈=bra
 
[14] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural.
 
http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=politica&artigo=ptbras〈=bra
 
[15] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20051001145753〈=bra
 
[16] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20040823154724〈=bra
 
[17] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=politica&artigo=20050803125625〈=bra
 
[18] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20070618233706〈=bra
 
[19] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=igreja&artigo=bispo_modernista〈=bra
 
[20] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20040824112229〈=bra
 
[21] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apoio&artigo=20051125123814〈=bra
 
[22] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apologetica&artigo=20070102224228〈=bra
 
[23] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=rcc&artigo=20070508115213〈=bra
 
[24] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=doutrina&artigo=20060101164027〈=bra
 
 
 
[25] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=outros&artigo=20060124152256〈=bra
 
[26] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apologetica&artigo=20041029173319〈=bra
 
[27] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=doutrina&artigo=20040731030329〈=bra
 
 
 
[28] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=outros&artigo=20040929095035〈=bra

Orlando Fedeli e a Montfort: os únicos fiéis a Deus?


DEUS ME PERMITE, NA VELHICE, VER O FRUTO DE MINHAS CARTAS

Orlando Fedeli: “Como Deus é bom que me permite, já bem na velhice, ver um fruto nascido de minhas cartas, escritas na solidão de meu escritório e lançadas ao mundo pela internet, sem saber que olhos as lerão, sem saber que fruto terão, e, de repente, ver chegar no monitor uma resposta como a sua, que é um SIM tão pleno a Deus Nosso Senhor.”[17]

FAÇO O QUE POSSO PARA DEFENDER A FÉ.

Orlando Fedeli: “Tenho defeitos sim, Padre. Mas faço o que posso para defender a Fé.

E com certo êxito.

Afinal, Padre, o site Montfort– graças a Deus — tem convertido muitas pessoas e afervorado outras. Tem soprado brasas que estavam apagando, e suscitado labaredas de amor a Deus e à Santa Igreja. Tem dado apoio a canas torcidas, que estavam para quebrar.

Afinal, temos alcançado até mais de 210.000 acessos num único mês, no site Montfort (acessos únicos).

Um site “aberto” ao mundo moderno teria alcançado esse número, padre?

Experimente…

E o site Montfort não tem figurinhas, não tem anjinhos esvoaçando, não tem piadas. Tem textos doutrinários longos. E é um site “fechado” e polêmico. Um site nada ecumênico. Briguento. Que consegue que pessoas com quem brigou, escrevam, depois, agradecendo.

Graças a Deus!

O senhor não percebeu como os jovens escrevem para o site Montfort?

Quem deveria estar digitando cartas e lutando pela Fé, deviam ser os pastores. Se um leigo, professor já bem velho, compreende que é obrigado a fazer isso, é porque depois do Vaticano II, o excesso de pastorais e de reuniões, deve ter impedido que os padres tenham tempo de cuidar das ovelhas….

O senhor não quer fazer um site para responder dúvidas do povo fiel?

Certamente seria um site com mais zelo e simplicidade que o da Montfort.

Eu me tornaria um de seus leitores… caso o senhor não fosse… “aberto”! Claro!

Com a sua autoridade de sacerdote o senhor teria muito mais poder em sua palavra.

Faça-o, padre.”[18]

A MONTFORT SÓ SEGUE OS PASSOS DE JESUS

Orlando Fedeli: “JESUS NÃO FUNDOU UM MOVIMENTO ECUMÊNICO ABERTO AO FARISAISMO, AO SADUCEISMO, E AO PAGANISMO.

Jesus foi fechado aos erros de seu tempo, e os combateu.

Jesus mandou aos Apóstolos: “Ide e ensinai”

Jesus não mandou: “Ide e dialogai”. Onde, padre, existe no evangelho uma recomendação de Jesus para sermos “abertos”?

Ele, pelo contrário, condenou o caminho largo, e disse que seguíssemos o caminho estreito.”[19]

A MONTFORT É CONTRA A DIREITA, CONTRA A ESQUERDA E CONTRA O CENTRO

Orlando Fedeli: “Somos contra a esquerda, contra a direita, e contra o centro quer na desgraçada e bem corrupta política civil, quer na política eclesiástica, que também não vive na graça de Deus.

Somos Católicos Apostólicos Romanos. Por isso somos contra todas as heresias e erros de esquerda e de direita. Somos contra o Panteísmo e contra a Gnose.”[20]

VISO A CONVERSÃO DAS ALMAS E A HUMILHAÇÃO DOS INIMIGOS DA FÉ

Orlando Fedeli: “Como você, muitos começam a ler o site Montfort e têm raiva. Depois começam a se divertir com a derrota de um sofista qualquer. Aí começam a entender algum argumento. Finalmente, acabam por compreender que estamos numa luta, e como disse São Pio X a respeito de alguns católicos briguentos de seu tempo acusados de serem violentos: “Que se quereria? Que numa guerra se trocassem gentilezas? Numa guerra se dão golpes duros.”

E, visando a conversão das almas e a humilhação dos inimigos da Fé, tenho esperança que Deus compensará meus pecados e defeitos e abençoará o fim que viso.”[21]

A MONTFORT É A VOZ DA IDADE MÉDIA, DOS CRUZADOS ANTIGOS, QUE CANTA A FIDELIDADE AO SYLLABUS CONTRA OS SACRILÉGIOS DAS MISSAS NOVAS

Orlando Fedeli: “Há duas igrejas hoje. E essa igreja modernista infitrada na Santa Igreja temos que combatê-la com todas as nossas forças. Graças a Deus há muitos hoje que apoiam o site Montfort nessa luta em defesa da verdadeira Igreja de sempre. E como você notou, os jovens vem em grande número apoiar a Montfort.

Nossas reuniões regorjitam de jovens entusiasmados pela Fé Católica, devotos do papado e servos de Nossa Senhora, querendo consolar o Coração de Jesus por tantas ofensas.

São os jovens da Montofrt — “voz da Idade Média” — cantando o Credo Romano de sempre, com o mesmo ardor dos cruzados antigos. Cantando fidelidade ao Syllabus, esperando em Fátima e rezando por Bento XVI. Ardendo em desejo santo pela Missa de sempre, com santa indignação contra os sacrilégios cometidos nas missas novas, missas-show, às quais Bento XVI, se Deus quiser, vai logo mais por um fim.”[22]

BENDITO SEJA DEUS QUE NOS SUSCITOU PARA ESTA GUERRA SANTA

Orlando Fedeli: “Escrever na Internet, sem jamais ver os leitores, o mais das vezes sem conhecê-los — era o seu caso, para mim, até algumas horas atrás — equivale ao labutar de um lavrador que lança sementes, à noite, num campo que não vê, e que não pode nem depois verificar o resultado, e, de hábito, sem poder colher a seara. Só no dia do juízo ver-se-ão os frutos que a Montfort semeia na Internet, de sorte que, chegando uma carta como a sua, Deus me permite ver os frutos bons, numa alma que eu não conhecia. Como me permite entrever que existem tantas outras pessoas abandonadas às quais a Montfort está ajudando sem o saber.

Claro que o lavrador sabe, com toda a certeza, que, lançando a semente, virá o fruto.

Mas que alegria contemplar o trigal balouçando ao sol!

Que alegria, mesmo à noite, ter nas mãos uma simples espiga probante que existe a seara!

Então, vale bem a pena ficar escrevendo horas e horas a fio, discutindo, debatendo, incentivando, lutando, entre injúrias e ofensas, conclamando!

Ainda que não se vejam e nem se saibam os resultados, é certo que Deus abençoa o apostolado feito, “às escuras”, ao brilho eletrônico de um monitor.

Então, atrás dessa tela, onde meus dedos imprimem letras, há uma alma que me lê. Uma alma que discorda. Uma alma que se irrita, a princípio, mas que não consegue deixar de voltar, a discutir — ainda que dentro de si mesmo — com um velho e brabo professor que ele também não vê. Uma alma a quem Deus fala no silêncio da noite, como num eco, sussurrando baixinho no fundo da alma: “Veja, meu filho… É bem verdade!”

Até que, numa aurora imensa, uma grande luz nasce para quem jazia nas sombras da morte: é verdade! A Igreja Católica é a verdade! Jesus é a Verdade! O Papa é o doce Cristo na Terra!

Oh meu Deus, é verdade! É verdade! É verdade!

E renasce a Fé num menino criado entre rezas e novenas, que se afastou de Deus, e que volta. Como o filho pródigo!

Como não me comover, pensando que Deus me permitiu, a mim, miserável professorzinho secundário, ajudar um filho a voltar à casa do Pai!

Foi Deus quem fez isso. Foi Nossa Senhora que nos abençoou. Foi um instrumento vil — um professor no anoitecer da vida –que despertou um moço generoso, através de um instrumento ainda mais vil: um miserável computador.

Deus que pode fazer das pedras filhos de Abraão, bem pode fazer também de um computador uma espada.

E como não me comover ao ouvi-lo dizer que sempre você reza por um professor que você nem conhecia, a não ser pelas letras frias do computador?

Deus seja louvado que nos uniu, como labaredas, no mesmo fogo da Fé Católica. Porque, agora, você, meu filho, — permita-me chamá-lo assim, por causa de minha idade – é como eu: a mesma luz da Fé brilha em nossas almas. O mesmo desejo de defender a Santa Igreja nos une.

Encontramo-nos, hoje, como dois cruzados, vindos de terras diversas, sob a mesma cruz e a mesma bandeira e com a mesma espada.

Bendito seja Deus que nos suscitou para esta santa “guerra”, pela salvação das almas.”[23]

SOU PELO QUE É ETERNO. COMBATO AS PROFANAÇÕES. FAÇO CATEDRAIS NAS ALMAS

Orlando Fedeli: “Muito prezado Fernando, salve Maria.

Você me pergunta de modo um tanto provocativo e impertinente: “o que faço na Igreja “.

Mas será que você ainda não o percebeu?

Defendo a Fé.

Faço o que fiz a vida inteira: ensino o Catecismo.

Que faço na Igreja?

Mas o que pode fazer um pecador, como eu, na Igreja?

Rezo e peço perdão a Nosso Senhor pelos meus pecados. Rezo e me confesso. Rezo, assisto Missa, e comungo sempre que posso.

Claro você se interessa em saber, e me pergunta com uma certa indignação, que sou eu na Igreja.

Que sou na Igreja?

Mas praticamente nada. Ou quase poeira.

Um velho professor que conta as histórias que pesquisou a vida inteira, em velhos livros, buscando os traços sanguinolentos dos mártires e dos heróis nas veredas da História.

Que faço na Igreja?

Faço o que devo. Deixando meu velho coração cansado se entusiasmar na conquista de uma alma jovem e heróica para Cristo.

Que sou na Igreja?

Sou um simples fiel. Fui Congregado Mariano, quando havia Congregações Marianas.

Fui da Ordem Terceira do Carmo, quando as havia, no estilo antigo, em São Paulo.

Estilo antigo?

Perdão.

Na Igreja Católica, nada há propriamente de antigo. Só há coisas de sempre. Para sempre. Porque a verdade católica é eterna. É para sempre. A verdade católica não evolui.

Perguntar-me-á você: mas o senhor não pertence, hoje, a nenhum movimento moderno?

Não. Graças a Deus, não.

A nenhum.

Detesto tudo o que é moderno.

Sou pelo que é eterno.

Nem balanço a cabeça, e nem agito as mãos, sacudindo lencinhos. Nem danço nos santuários. Nem profano a igreja com baterias e rocks. Nem enrolo a língua, fingindo ter carismas, para que me admirem, e para que não me entendam.

Quero que me entendam.

Faço questão de que ouçam meu brado bradar os argumentos da verdade.

Por isso falo bem claro, para que tudo fique bem claro.

Que faço na Igreja?

Mas você não percebeu ainda?

Ensino, aos que ignoram e têm boa vontade para aprender, algo daquilo que sei.

Você não percebeu ainda, que também martelo argumentos em quem se atreve a negar a Verdade Católica ou contra quem ousa atacar a Fé?

Que faço na Igreja?

Peço a Nossa Senhora que faça de minha alma uma espada. E com Ela, faço almas-espadas.

Que faço ainda na Igreja?

Combato as profanações, que você parece defender.

Que faço na Igreja?

Rezo e estudo. Rezo e escrevo artigos.

Dou aulas. Muitíssimas aulas.

(Todas de graça. Todas por graça).

Desperto entusiasmo e ódios.

Aturo desaforos e incompreensões. Suporto calúnias e silêncios murmurantes…

E respondo cartas.

Muitas que perguntam com humildade. Muitas, muitas… que me agradecem o ensinamento recebido. Ou até a Fé recuperada.

Que faço na Igreja?

Atiço brasas que se apagavam. Fortaleço, tanto quanto posso, com a ajuda de Deus, canas torcidas. Sopro, tanto quanto posso, em fogueiras bruxuleantes.

Acendo tochas.

Inflamo candelabros.

Faço moços cantarem a alegria de lutar e de defender a Fé católica.

E respondo cartas.

Algumas pretensiosas. Outras impertinentes. Umas mal educadas. Outras atrevidas e ignorantes. Algumas cheias de ódio porque vazias de argumentos.

Cada carta é um desafio. Cada carta um duelo. À sabre ou florete. E o prêmio que procuro é a conversão de uma alma para Nosso Senhor.

Cada carta é um combate. Sempre na brecha. Sempre na muralha da Santa Igreja. E meu coração vigia, quando meus olhos dormem. Sonhando com argumentos.

Que faço na Igreja?

Mas simplesmente — com a graça e a ajuda de Deus — faço o que fiz toda a minha vida. Como Pierre de Craon, da peça Une jeune fille Violaine, faço catedrais nas almas. Catedrais de luz e de vitrais, de verdades e virtudes, “cheias de sombra e luz, para que Deus habite nelas”.

E você, meu caro Fernando, você não quereria me ajudar a defender Nosso Senhor de quem, hoje, se riem os ateus e infiéis, coroando-O de espinhos, e os hereges, cuspindo sofismas em sua Divina Face?

Você, se você tem um coração valente, você… venha comigo.

Venha.

Venha comigo até…

in Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli.”[24]

——————————————————————————–

[17] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apoio&artigo=20061127033251&lang=bra

[18] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20050908181612&lang=bra

[19] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20050908181612&lang=bra

[20] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=outros&artigo=20060601143951&lang=bra

[21] /FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apoio&artigo=20070803164121&lang=bra

[22] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apoio&artigo=20060501020700&lang=bra

[23] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apoio&artigo=20041022125747&lang=bra

[24] FEDELI, Orlando. MONTFORT Associação Cultural. http://www.XXX.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20040824131614&lang=bra

%d bloggers like this: